• 24 de abril de 2020

Faculdade IESF aumenta descontos em mensalidade em período de pandemia do covid-19 e vira referência

Na busca de manter o equilíbrio financeiro das famílias que tiveram seus rendimentos reduzidos por conta dos decretos que limitam as atividades econômicas no Maranhão durante a pandemia causada pelo covid-19, o Instituto Franciscano de Ensino Superior – IESF, resolve adotar medidas que possam contribuir de forma solicita com seus alunos.

O IESF está concedendo desconto pontualidade de 20% e isenção de multas e juros em todas as parcelas vencidas. Além de desconto de 25% nas próximas parcelas do mês de maio até o vencimento.

Com essa atitude a Faculdade IESF se torna uma referência para outras Instituições Privadas de Ensino, que se negam em reduzir as mensalidades ou dar descontos em contratos de modalidade presencial. Embora com o decreto do governo as instituições de ensino encontram-se fechadas.

Os deputados estaduais Rildo Amaral (SD) e Dr. Yglesio (PROS) apresentaram na Assembleia Legislativa um Projeto de Lei que obriga as instituições de ensino da rede privada a reduzirem a suas mensalidades, durante o período que durar o plano de contingência do Estado, em virtude do COVID-19.

O projeto de lei prevê percentuais de redução nas mensalidades de acordo com o número de alunos de cada instituição e deve ser votado nos próximos dias.

“A nossa intenção não é quebrar as instituições de ensino privado, mas que elas se mostrem solícitas neste momento de crise. Tenho sido procurado por muitos pais de alunos que estão impedidos de trabalhar, que os rendimentos estão caindo drasticamente e estão com crianças em casa com despesas maiores ainda, mas que cujas escolas não quiseram reduzir as mensalidades, mesmo não oferecendo aulas. Da mesma forma os universitários têm se mobilizado por causa das aulas terem sido reduzidas ao formato online. A Faculdade IESF em Paço do Lumiar-MA, mostra que é possível e merece nosso reconhecimento.” Disse o deputado Yglesio em sua fala após a reunião com diretores da Instituição.

  • 24 de abril de 2020

Moro propôs demissão de diretor da PF se fosse indicado ministro do STF por Bolsonaro

O presidente da Republica Jair Bolsonaro fez a manifestação no Palácio do Planalto. Iniciou seu discurso lembrando de como conheceu o ex-ministro Sergio Moro.

O ex-ministro renunciou à carreira de 22 anos como juiz federal – ele era o responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Justiça Federal em Curitiba. Assumiu o posto de ministro da Justiça e da Segurança Pública a convite de Bolsonaro em 2019.

Bolsonaro disse no pronunciamento que pedia a Moro um relatório diário sobre atividades da Polícia Federal, a fim de poder tomar decisões.

Segundo o presidente, a Polícia Federal se preocupou mais em identificar os autores do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) que investigar o atentado que ele, Bolsonaro, sofreu durante a campanha eleitoral.

Sobre a acusação de Moro, segundo a qual Bolsonaro pediu para trocar o diretor-geral da PF a fim de ter acesso a investigações e inquéritos, o presidente contestou. “Nunca pedi para ele para que a PF me blindasse onde quer que fosse”, disse.

Em um trecho do pronunciamento, Bolsonaro reforçou que a indicação do diretor-geral da PF cabe a ele e que, se um dia ele se “submeter a qualquer subordinado”, deixará de ser presidente.

Para Bolsonaro, Moro tem compromisso “com o próprio ego”, “consigo próprio” e “não com o Brasil”.

Antes de fazer o pronunciamento, o presidente da República afirmou em uma rede social que iria restabelecer “a verdade” na fala à imprensa e assim afirmou que o ex-ministro da Justiça e Segurança Sergio Moro disse a ele que aceitaria a substituição do diretor-geral da Polícia Federal, mas somente em novembro, depois que fosse indicado para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal.

Dessa forma chega ao fim a relação e compromisso politico entre ambos. Finalizou Bolsonaro acompanhado de seus ministros.

  • 24 de abril de 2020

Sergio Moro sai e faz serias acusações a Bolsonaro

O ex-juiz federal Sergio Moro deixou o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública do governo do presidente Jair Bolsonaro. Ele confirmou oficialmente o desembarque em pronunciamento nesta 6ª feira (24.abr.2020), no auditório do próprio Ministério, no qual acusou indiretamente o presidente de ter cometido crimes de responsabilidade e de falsidade ideológica.

“O presidente me disse mais de uma vez, expressamente, que queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse ligar, que ele pudesse colher informações, que ele pudesse colher relatórios de inteligência, seja o diretor, seja superintendente… E, realmente, não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação”, disse no Palácio da Justiça, em pronunciamento a respeito de sua demissão.

Moro prosseguiu:

“As investigações têm que ser preservadas. Imaginem se durante a própria Lava-Jato o ministro, o diretor-geral, o presidente, a então presidente Dilma, ficassem ligando para o superintendente em Curitiba para colher investigações sobre as operações em andamento?”

O ministro demitido afirmou que o presidente da República “pode confirmar ou não essas questões“. Disse ainda que “o grande problema” não é quem entrará no lugar do diretor-geral demitido Mauricio Valeixo, que era seu braço direito, mas sim por que essa pessoa vai entrar no cargo.

Se esse alguém, sendo da corporação, aceitando substituição do atual diretor-geral, com o impacto que isso terá na corporação, não conseguiu dizer não para o presidente a uma proposta dessa espécie, eu fico na dúvida se conseguirá dizer não em relação a outros temas“, disse.

Moro também acusou Bolsonaro, indiretamente, de ter publicado um texto inverídico (Falsidade Ideológica). Ele afirmou não ter assinado o decreto de exoneração –a pedido– de Valeixo, publicado a madrugada desta 6ª feira no DOU (Diário Oficial da União).

“A exoneração que foi publicada, eu fiquei sabendo pelo Diário Oficial pela madrugada. Eu não assinei esse decreto. Em nenhum momento isso foi trazido. Em nenhum momento o diretor-geral da PF apresentou pedido formal de exoneração. Depois ele me comunicou que ontem à noite recebeu uma ligação dizendo que ia sair a exoneração a pedido e se ele concordava. (…) Mas o fato é que não existe nenhum pedido que foi feito de maneira formal. Eu sinceramente fui surpreendido. Achei que isso foi ofensivo. Vi que depois a Secom [Secretaria especial de Comunicação Social] confirmou que houve essa exoneração a pedido, mas isso de fato não é verdadeiro. Para mim esse último ato também é uma sinalização de que o presidente me quer fora do cargo”, afirmou.

O Presidente da Republica Jair Bolsonaro vai dar um pronunciamento ainda nesta sexta-feira (24), esclarecendo o seu lado da historia, promete o presidente Bolsonaro revelações completas do bastidores da saída do Ministro Moro.

  • Tags:
  • 24 de abril de 2020

Moro marca entrevista para esclarecer a demissão do diretor geral da PF

Aliados do ministro Sérgio Moro, afirmam que ele foi pego de surpresa, com a exoneração do diretor geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo.

De acordo com a imprensa nacional, Moro não gostou da decisão do presidente Jair Bolsonaro e pode anunciar sua saída do governo em entrevista coletiva marcada para as 11h na sede do ministério.

A exoneração de Valeixo, no diário, aparece assinada por Moro e Bolsonaro. Mas, segundo fontes ligadas ao ministro, o nome dele aparece por formalidade.

A Polícia Federal é subordinada ao ministro da Justiça, e é praxe , em casos como o esse, o chefe da pasta assinar a exoneração. A assinatura aparecer sem o consentimento de Moro foi mais um movimento inusual que confirma que a saída de Valeixo não estava combinada com o ministro, muito menos para esta sexta.

O governo publicou que que a exoneração foi “a pedido” (quando o próprio servidor público pede para sair do cargo), mas fontes confirmam que Valeixo não pediu demissão, foi exonerado. Considerava que não havia motivo objetivo para que não permanecesse no cargo.

 

  • 23 de abril de 2020

Alerta: Complexo de Pedrinhas com varias suspeitas de casos de covid-19

Documento obtido pelo Blog do Neto Ferreira aponta que 94 detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas do Maranhão estão com suspeita de ter contraído o novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com a relação, os internos estão em celas da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís II – UPRSL II.

O memorando foi encaminhado no dia 20 de abril pelo diretor geral da Unidade, Auro Astério Azevedo Pereira, para a secretária adjunta de Atendimento e Humanização Penitenciária (SAAHP), Kelly Cristina Carvalho, informando os nomes dos internos com sintomas gripais que precisam com urgência de tratamento.

Para tratar os presidiários doentes, foram solicitadas as medicações Azitromicina (usada no tratamento da Covid-19), Invermectina e Vitamina C.

O documento reforça a denúncia de dois presos feita por vídeo e divulgado na última segunda-feira (20) pelos próprios.

Na gravação, eles afirmam que há em Pedrinhas inúmeros internos doentes, sendo que um faleceu com suspeita de ser infectado pelo vírus.

Os presidiários ameaçaram o Governo do Maranhão uma retaliação caso a situação do Complexo não mude.

  • Tags:
  • 23 de abril de 2020

Flávio Dino mantém Alberto Bastos no comando da Defensoria Pública Estadual

Chegou ao fim o imbróglio envolvendo a vitória do defensor Alberto Bastos, reeleito para o cargo em votação democrática entre os defensores no início do mês.

Mesmo com larga vantagem para o segundo e o terceiro colocado, nos bastidores da politica estadual, existia uma corrente que defendia a nomeação do segundo colocado, o que já era dito como certo por alguns nomes conhecidos do cenário político.

Na sexta-feira (17), o deputado Dr. Yglésio entrou na disputa, através de manifestações em suas redes sociais, Yglésio conseguiu levar a pauta da disputa para fora da Defensoria Pública, gerando um debate de muitas opniões, o que deve ter sido levado em conta pelo Governador Flávio Dino (PCdoB), que decidiu manter o resultado das urnas.

Esta, inclusive, é a primeira vez que um defensor-Geral é reeleito para o cargo na era Dino.

fonte: Maramais (com alterações).

 

  • 23 de abril de 2020

Raposa: Eudes Barros confirma positivo para covid-19

O pré-candidato a prefeito e ex-vereador da Raposa, Eudes Barros confirmou em suas redes sociais que testou positivo para COVID-19.

Eudes vem cumprindo o protocolo médico,  seguindo as orientações e em isolamento total, respondendo de forma satisfatória o tratamento.

“Quero agradecer a todos as orações e o carinho até aqui.” Disse Eudes em sua página do Instagram.

  • 22 de abril de 2020

Bomba!!! Deputado Duarte Jr mentiu em suas redes sociais

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito em São Luís, Duarte Jr.(Republicanos), mentiu em suas redes sociais ao anunciar que foi escolhido como presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Maranhão em 2020.

Faltando com a verdade, Duarte diz está feliz com a oportunidade de coordenar uma das principais áreas para a vida das pessoas, que nos próximos dias vai conduzir os trabalhos sobre a necessidade de redução proporcional e razoável das mensalidades em escolas privadas e faculdades.

VERDADE DOS FATOS: essa situação não passa de uma fantasia ou delírio do deputado Durte Jr. Em comunicado ao Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto, no dia 04 de março de 2020 a Deputada Mical Damascena informou o resultado da reunião da Comissão de Educação, Cultura, Desporte, Ciência e Tecnologia, em cuja reunião foi escolhida como presidente a própria deputada Mical Damasceno e como vice-presidente o deputado Zé Inácio Lula.

O deputado Duarte Jr. deve agora explicar como é possível ter sido escolhido presidente, já que a Assembleia Legislativa encontra-se suspensa com suas atividades, devido a pandemia do novo coronavírus, sendo realizadas apenas sessões remotas extraordinárias, na qual em nenhuma delas foi tratado sobre uma possível nova eleição para a Comissão de Educação.

 

  • 22 de abril de 2020

Com coronavírus, prefeito Magno de Presidente Juscelino está internado em hospital

O prefeito Magno Texeira do município de Presidente Juscelino, está internado em hospital na capital São Luís, com confirmação do novo coronavírus.

A Prefeitura através de informativo, divulgou a confirmação a população de Presidente Juscelino nesta quarta-feira (22).

Segundo informativo Magno está internado desde o dia 13 de Abril, quando sentiu os primeiros sintomas, por ser diabético, início o imediato tratamento. Com a confirmação nos exames Magno solicita oração de todos para sua plena recuperação.

  • 22 de abril de 2020

Codó: três casos confirmados do novo coronavírus

Em Codó, o prefeito  Francisco Nagib, confirmou agora na noite de quarta-feira (22) mais dois casos do COVID-19 no município de Codó.

A notícia  foi divulgada após uma reunião que o gestor teve com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde nesta quarta-feira.

De acordo com as informações colhidas o segundo caso confirmado é de uma mulher de 38 anos que é esposa do homem que teve caso confirmado ontem (21). A mesma é moradora do bairro São Pedro. O terceiro caso é de um homem de 61 anos morador do centro de Codó