• 13 de outubro de 2020

Bacabeira: Prefeita faz campanha ao lado de Secretário preso pela Polícia Federal

A candidata e prefeita de Bacabeira, Fernanda Gonçalo (PMN) está fazendo campanha ao lado do ex-secretário preso pela Polícia Federal, Célio Teixeira de Almeida acusado de desviar recursos da Saúde em plena pandemia de coronavírus.

Mesmo exonerado em 13 de agosto, o ex-secretário segue presente na campanha e até na prefeitura de Bacabeira como se nada tivesse acontecido. A generosidade da prefeita é tão grande que Célio continua recebendo salário integral de R$ 6.000,00 (seis mil reais) conforme consta na folha de pagamento da prefeitura.

Mas toda essa guarida ao  tem uma explicação: o blog apurou que Célio Almeida já discutia possibilidade de fazer uma delação premiada junto ao Ministério Público e delatar este e outros esquemas de desvio de dinheiro público na prefeitura de Bacabeira.

Os fatos provam que todo apoio dispensado ao braço direito dos Gonçalos é nitidamente retribuição premiada. O que eles esquecem é que tudo está sendo acompanhado pela Polícia Federal e que novos desdobramentos podem surgir a qualquer momento.

Maramais

  • 17 de setembro de 2020

Polícia Federal realiza operação “Mercancia postal” contra grupo criminoso no Maranhão

A Polícia Federal, a partir de informações da Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios, e com o apoio do Ministério Público Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, dia 17 de setembro de 2020, nas cidades de São Luís/MA, Barreirinhas/MA, Bacabal/MA, Santa Inês/MA, São Luís Gonzaga/MA, Lago Verde/MA, Codó/MA e Coelho Neto/MA, a Operação “MERCANCIA POSTAL” com a finalidade de desarticular grupo criminoso que se utiliza da estrutura dos Correios para o cometimento de diversas fraudes.

A partir de elementos de informação colhidos em dois Inquéritos Policiais, especialmente decorrentes da Operação “HERMES E O GADO II”, foram verificados indícios de que empregados dos Correios estariam: a) simulando roubos e furtos para se apropriarem de valores das agências; b) cobrando propina para revalidação de senhas de benefícios previdenciários, no procedimento de “PROVA DE VIDA”; e c) criando CPFs em nome de pessoas fictícias para o recebimento fraudulento de benefícios assistenciais do Governo Federal, entre eles o auxílio emergencial pago em razão da pandemia de COVID-19.

A Polícia Federal cumpriu 16 (dezesseis) Mandados de Busca e Apreensão, 06 (seis) Mandados de Prisão Temporária e 8 (oito) Mandados de Intimação. Além disso, foi determinado o sequestro de bens dos principais investigados no valor total de R$ 933.888,28 (novecentos e trinta e três mil oitocentos e oitenta e oito reais e vinte e oito centavos).

Ao todo 74 (setenta e quatro) policiais federais cumpriram as determinações judiciais expedidas pela Subseção Judiciária de Bacabal/MA, decorrente de representações da autoridade policial responsável pelos dois Inquéritos Policiais em trâmite na Delegacia de Repressão aos Crimes Patrimoniais e ao Tráfico de Armas DELEPAT/DRCOR/SR/PF/MA.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por roubo (Art. 157 do CPB), furto (Art. 155 do CPB), corrupção ativa (Art. 333, caput do CPB), corrupção passiva (Art. 317, caput do CPB), peculato (Art. 312, caput do CPB), peculato eletrônico (Art. 313-A do CPB), falsa comunicação de crime (Art. 340, caput do CPB), estelionato majorado (Art. 171, §3º do CPB) e associação criminosa (Art. 288 do CPB).
A denominação “MERCANCIA POSTAL” diz respeito ao ato de mercadejar, mercantilizar, fazer o comércio espúrio, utilizando-se para tanto da estrutura dos Correios.

  • 17 de agosto de 2020

Bacabeira: Fernanda Gonçalo exonera presidente da CPL e secretário preso pela PF

Fernanda Gonçalo que é prefeita do município de Bacabeira, investigado pela Polícia Federal na operação “Falsa Esperança”, exonerou a presidente da CPL, Jaine da Silva Serra e o Secretário de Finanças, Célio Teixeira de Almeida.

Célio Teixeira foi preso pela polícia federal no início do mês, em uma ação que teve o objetivo de desarticular uma organização criminosa em desviar recursos públicos na área da saúde.

Com recursos do covid-19, Célio foi quem assinou varios documentos investigados pela PF, com contratos e ordens de serviços, autorizando pagamentos suspeitos.

As investigações continuam no município e o que mais se comenta é que os ex-secretários não poderiam agir sozinho e que logo logo a PF vai dar a palavra final.

 

  • 12 de agosto de 2020

PF e INTERPOL deflagram operação de combate ao tráfico internacional de drogas em seis estados e três países

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12/08), a segunda fase da Operação Olossá, com o objetivo de cumprir mandados judiciais decorrentes de investigação sobre organização criminosa especializada no tráfico internacional de entorpecentes pelo modal aéreo, especialmente para Europa e Ásia. A principal forma de atuação era a utilização de “mulas”, que transportavam o entorpecente escondido em suas bagagens.

Nesta data estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão e 10 mandados de busca e apreensão, nos Estados da Bahia (Salvador, Lauro de Freitas e Conceição do Coité), Sergipe, Maranhão, Pará, São Paulo e Santa Catarina. Entre os mandados de prisão, três estão sendo cumpridos no exterior, com o auxílio da INTERPOL; dois na Espanha e um na Tailândia.

A investigação teve início em maio de 2019, a partir do aprofundamento de informações recebidas pelo serviço de Disque Denúncia da Secretária de Segurança Pública da Bahia. Naquela ocasião, identificou-se que o proprietário de uma barraca de praia em Lauro de Freitas usava o estabelecimento para aliciar as “mulas”, sendo ele o principal integrante da organização criminosa nessa função. Era ele, também, quem providenciava as passagens, documentos e dinheiro para o custeio da viagem.

Durante a investigação, dez pessoas foram presas em flagrante, quando tentavam embarcar para o exterior com cocaína escondida em suas bagagens em aeroportos da Bahia, de São Paulo, de Pernambuco, do Ceará e do Paraná. Além delas, outras três pessoas foram presas quando efetuavam a entrega de malas já preparadas, com a droga escondida, para as “mulas”.

Em 10/3/2020, foi deflagrada a primeira fase da operação, sendo cumpridos quatro mandados de busca e cinco mandados de prisão nas cidades de Salvador e Ipiaú, na Bahia, e Ananindeua, no Pará. A partir da análise do material apreendido na primeira fase, conseguiu-se identificar a liderança e integrantes do primeiro escalão da organização criminosa investigada, inclusive de pessoas que iniciaram como “mulas” e assumiram outros postos no esquema criminoso, mudando-se para o exterior para recepcionar os viajantes que chegavam do Brasil transportando a droga.

Os investigados irão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

 

 

  • 7 de agosto de 2020

Em Bacabeira, vereadora Kellyane Calvet pede o afastamento da prefeita Fernanda Gonçalo

 

Mediante as inúmeras acusações e investigações da Polícia Federal contra a atuação da prefeitura de Bacabeira a vereadora, pré-candidata do PL ao pleito de 2021 a 2024, Kellyane Calvet pediu o afastamento imediato da gestora Fernanda Gonçalo, para que sejam apuradas todas as denúncias.

O Maranhão inteiro assistiu perplexo a operação “, falsas esperanças” deflagrada na última quarta feira (5/8). Onde o casal de prefeitos Dr. Hilton Gonçalo e Fernanda Gonçalo, prefeitos de Santa Rita e Bacabeira respectivamente poderão está envolvidos neste escândalo de corrupção. A cidade de Bacabeira está perplexa, com tudo que está ocorrendo.

Informações da Polícia Federal apontam uma organização criminosa de desvio de dinheiro público federal que deveria ser destinado para o enfrentamento da pandemia Covid-19. Há evidências de que a empresa de distribuição de medicamentos da família Gonçalo teria sido também beneficiada, haja vista que houve dispensa de licitação e a Diprohmed foi contemplada com contratos milionários para aquisição de materiais hospitalares. Assim demonstra os editais publicados.

“Fiz esse pedido ontem na bancada por se tratar de um poder parlamentar temos a obrigação de fiscalizar o dinheiro público do município. Nunca a Polícia Federal bateu na porta da Prefeitura e precisamos fiscalizar essa situação. O Ministério Público Federal se achar conveniente ter assistentes na acusação formal, certamente há vasto material que comprovam escândalos e mais escândalos dessa gestão. Então como prova de que não haverá interferência nas investigações, comprometendo provas ou possivelmente a destruição delas é necessário que a gestora seja afastada já.” Assim concluiu Kellyane.

Vejo o pronunciamento da Vereadora Kellyane:

 

  • 7 de agosto de 2020

Paço do Lumiar – Prefeita Paula da Pindoba e o contrato milionário com empresa alvo da polícia federal

A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria Geral da União – CGU, deflagrou na manhã desta última quarta-feira (5/8), a Operação “Falsa Esperança”, com a finalidade de desarticular associação criminosa voltada a fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento do novo corona vírus (COVID-19), nos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA.

Um dos alvos da operação de hoje, era empresa J.J. da Silva & Santos, mais conhecida como Ecosolar – Comércio, Projetos e Serviços. Localizada na Avenida 13, número 28, quadra 126, no Maiobão, em Paço do Lumiar.

A empresa foi contratada em abril deste ano, pela gestão da prefeita em exercício de Paço do Lumiar, Paula da Pindoba (PCdoB). A empresa ganhou o contrato para manutenção de ar-condicionado do município.

O valor que a empresa ganhou no processo licitatório, foi de R$ 1.436,139,60.

De acordo com a Polícia Federal, a investigação revelou que a empresa não tinha nenhum empregado. A empresa tem um total de 69 atividades secundárias, que variavam desde a confecção de vestuário, segurança privada e até produção musical.

  • 6 de agosto de 2020

PF: Operação “Falsa Esperança” grupo Gonçalo reunido para defesa

Um prédio de luxo de São Luís, localizado na Ponta d’Areia foi o ponto escolhido por alvos da operação “falsa esperança” para se encontrarem ao anoitecer de ontem (05).

Integrantes do grupo que culminou na operação da PF se encontraram no luxuoso prédio para uma calorosa reunião de estratégia ou de combinação de depoimentos. Entre eles estavam um juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão e um suplente de deputado Federal.

A PF se refere a membros da administração de Santa Rita e Bacabeira como integrantes de quadrilha especializada em roubar dinheiro público.

Os investigadores da CGU e PF precisam estar atentos pois de acordo com informações obtidas por este blog, provas e demais elementos que podem influenciar o bojo da operação devem ser destruídos.

Blog Werbeth Saraiva

  • 6 de agosto de 2020

Prefeitura de Bacabeira emite nota de esclarecimento sobre operação da PF “Falsa Esperança”

A prefeitura de Bacabeira, através de sua assessoria jurídica, emitiu nota de esclarecimento sobre a operação da polícia federal no município.

Sabe aquele ditado que a “emenda ficou pior que o soneto”? Pois é. Assim é essa nota de esclarecimento da assessoria jurídica de Bacabeira e divulgada por quase todos os aliados da prefeita Fernanda.

A nota é claramente uma afronta ao trabalho investigativo da polícia Federal. A assessoria jurídica praticamente debochou do nome da operação. E ainda mais quis colocar dúvidas sobre a operação onde supostamente insinua que a polícia federal não teve a atenção devida com os fatos.

  • 5 de agosto de 2020

Policia Federal: Operação “Falsa Esperança” prefeituras de Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte

A Polícia Federal, por meio da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes
Financeiros – DELECOR/MA, com o apoio da Controladoria Geral da União –
CGU, deflagrou na manhã desta quarta-feira, dia 05 de agosto de 2020, a
Operação “FALSA ESPERANÇA”, com a finalidade de desarticular associação
criminosa voltada a fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19), nos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA.

Durante a investigação, foram verificados indícios de superfaturamento de
equipamentos de proteção individuais (EPI’s) e de simulação na compra de
respiradores pulmonares, que apesar do pagamento antecipado pelas
prefeituras de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA, nunca
foram efetivamente entregues.

Todas as aquisições foram realizadas com uma única empresa, sediada na
cidade de Paço do Lumiar/MA, que nunca havia atuado no ramo médico
hospitalar. A investigação revelou que a empresa não tinha nenhum empregado e atuava com a comercialização de acessórios para instalação de aparelhos de ar-condicionado e de energia solar. A empresa tinha um total de 69 atividades secundárias, que variavam desde a confecção de vestuário, segurança privada e até produção musical.

Cerca de 50 (cinquenta) policiais federais cumprem 04 (quatro) Mandados de Prisão Temporária, e 13 (treze) Mandados de Busca e Apreensão, além do
sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados, tendo as ordens
judiciais sido determinadas pela 1ª Vara Federal de São Luís/MA.

Se confirmadas as suspeitas, os investigados responderão pelos crimes de
peculato (Art. 312, caput, do CPB), falsidade ideológica (Art. 299, do CPB),
fraude em processo licitatório (Art. 90 da Lei nº 8.666/93), superfaturamento na venda de bens (Art. 96, I da Lei nº 8.666/93) e associação criminosa (Art. 288 do CPB).

As ordens judiciais foram cumpridas em 06 cidades do Maranhão (São Luís, São José do Ribamar, Paço do Lumiar, Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte).

A Operação foi denominada “FALSA ESPERANÇA” em referência a expectativa criada na população dos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA de que as gestões municipais teriam adquirido de forma lícita equipamentos contra a COVID-19, e que, ao fim, nunca chegaram a ser efetivamente entregues.

 

  • 14 de julho de 2020

PF cumpre mandado contra presidente do partido Solidariedade

A Polícia Federal começou a cumprir na manhã desta terça-feira (14) mandados de busca e apreensão contra o deputado federal Paulinho da Força (SP), presidente do Solidariedade, em uma fase da Operação Lava Jato que investiga crimes eleitorais.

Os agentes fazem buscas no gabinete e no apartamento funcional do parlamentar em Brasília e na sede da Força Sindical, à qual ele é ligado, em São Paulo. Ao todo, são sete mandados de busca e apreensão nas duas cidades.

Também foi determinado o bloqueio judicial de contas bancárias e de imóveis dos investigados, em decisão que partiu da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo.

De acordo com as investigações, foi constatada a existência de indícios do recebimento de doações eleitorais não contabilizadas durante as campanhas eleitorais dos anos de 2010 e 2012, no valor total de R$1,7 milhão.

  • 1
  • 2